Lumos: Março 2017

quarta-feira, março 29

Açucaródependente

Já que isto é um sítio para se admitir coisas e eu ando numa de não esconder nada, vou admitir-vos mais uma. Estava eu ontem com o meu lindo rabo gordinho alapado no sofá a ver "revenge body" a enfardar um saco de amêndoas de chocolate, quando uma das treinadoras fala de um problema grave: a dependência que o açúcar cria e a ressaca que o corpo sofre quando se começa uma dieta e o exercício físico regular. Vai daí que enfardo mais uma amêndoa e penso "olha aquela é como eu, viciada em açúcar, a única diferença é que ela está a ficar magra e saudável e eu aqui a dar mais uma facada na dieta". Como quem não quer a coisa mandei uma mensagem à minha mãe a dizer que tenho um vicio já muito conhecido por ela, digo pois então que devia ir para a reabilitação. Sem efeito ela apenas me responde um "Lol". No meio do meu jantar saudável eis que abordo o assunto ao que ela me diz que eu já não tenho remédio, que nem a reabilitação me ajudava porque eu só aprendo quando paro no hospital com uma crise tão grande que me faz dizer que se bater a bota as minhas coisas são todas para a Gui. Minhas caras e meus caros eu sou tão viciada em açúcar que quando existem festas nas aldeias da minha grande cidade eu vou a correr para a barraca dos doces e saio de lá tão contente como quando o meu grande Porto marca um golo. É amor senhores, é amor verdadeiro. Eu amo doces e sempre me disseram para encontrar alguém que olhasse para mim da maneira que eu olho para o empregado do restaurante quando me trás a sobremesa. Aquele olhar sexy, de amor verdadeiro, mas isso não interessa. O que importa aqui é que não os posso comer, não só porque o número da balança sobe e sobe como o balão do João mas também porque a minha doença me impede de o fazer. Mas mesmo assim sou burra velha e não aprendo e passo a vida a sonhar com os waffles com gelado do Burger king, com os Mc Flurry de snickers, com os croassants do Bom gosto e o iogurte com pintarolas e chocapics e cobertura de chocolate branco do meu café preferido. Já para não falar do meu caso amoroso com tudo o que seja bolo feito pela minha avó ou mãe, qualquer outro tipo de bolo que esteja disponível nas minhas pastelarias preferidas, os gelados, as bolachas húngaras, os crepes e as panquecas recheadas de nutella. Valha-me Deus, o Crohn e os diabetes que estou quase a ter que isto não é assunto para brincadeira. Sabe deus às vezes que levo na cabeça por causa deste vicio. É a nutricionista, a minha PT, a médica de família, os médicos que me seguem nas doenças auto-imunes, são as minhas amigas, a minha família. E com toda a razão que a minha vidinha corre sérios riscos por causa desta minha dependência. Então agora decidi que vou levar a minha dieta a sério outra vez. Que se acabaram os doces. Que isto é para o meu bem, para não ter mais dores e ficar toda jeitosa no bikini em Agosto. Por isso mãe relaxa, já não precisas de esconder mais comida de mim que agora vou comportar-me como a pessoa adulta e doente que sou.

Sou a Catarina e sou açúcaródepente e a minha ressaca começa aqui.
É de ressalvar que Deus me castigou e engordei 2 kgs não só por causa da medicação mas por andar a abusar no que não devo comer e pior que isso, o raio da saca das amêndoas fez-me ter dores tão fortes ontem à noite que me fez dizer mal de todos os meus pecados e rever novamente o meu testamento.

quinta-feira, março 23

A Cat recomenda || A autópsia de Jane Doe

Sou uma aficionada por filmes, acho que vejo um pouco de tudo mas as comédias e os romances têm um lugar muito especial no meu coração. Mas como durona que sou, também gosto bastante de filmes de terror. Eu digo que sou uma durona mas na verdade sou uma medricas e naquelas partes mesmo assustadoras sou a primeira a amarrar-me à almofada ou a tapar um olho com o cobertor. Ontem vi com uma pessoa muito especial o filme "A autópsia de Jane Doe" e tenho a dizer que é brutal! Um filme em que o suspense lidera e sinceramente acho que está bastante bem conseguido. Infelizmente alguns filmes de terror são forçados e este não é o caso. Preparem a almofada, o cobertor, o braço do namorado, o que quiserem, porque em certas partes acreditem que vão precisar! O filme é de 2016 e tem a duração de 86 minutos, com classificação para maiores de 16 anos. Deixo-vos aqui a sinopse do filme e o trailer. 

"Tommy Tilden e o seu filho, Austin, são médicos-legistas numa pequena cidade norte-americana. Numa noite igual a tantas outras, aparece-lhes o corpo de uma jovem não identificada. Foi brutalmente assassinada sob estranhas circunstâncias e encontrada na cave de uma família. À medida que pai e filho vão avançando com a autópsia, numa tentativa de descobrir as causas de morte da rapariga, dão-se conta de alguns factos perturbadores. E o mais inquietante de todos eles é que a vítima pode não estar realmente morta…"


Espero que gostem e depois deixem aqui a vossa opinião! 

sexta-feira, março 17

Senta-te aqui, vamos conversar

"Senta-te aqui, vamos conversar"
E o mundo desaba. Aquele mesmo mundo que já desabou à tanto tempo que nem te lembras de alguma vez o ter visto de outra maneira. Não paras quieta e já toda a gente percebeu que algo se passa. Que és diferente. Que fazes os outros rir para tentar extrair deles alguma felicidade. E isso falha. E tu voltas para casa, sozinha, vazia, com medo. Deitas a cabeça na almofada e aqueles pensamentos que não pararam durante o dia, intensificam-se ainda mais agora. E tu imploras. Imploras mais e mais e não passa e as lágrimas caem, e o sufoco fica cada vez maior e depois o vazio. E depois ficas sem ar. E depois o medo e o chão frio e tu deitada lá a pensares o que raio ainda estás aqui a fazer. E quando te perguntam "De que tens medo?" nem sabes o que responder. A lista é enorme. De tudo. De sair, do sol, da chuva, do riso dos outros porque não sei o que é rir. De estar sozinha, de estar rodeada de pessoas. Da minha sombra. De ti. Do mundo. Deles todos. De mim.
Mas o que mata mesmo é o "Como te sentes?". Triste. Com medo, sempre com medo, com medo do medo até. Sozinha. Vazia. Em pânico. E lá vem ele outra vez, o sorriso falso e a resposta forçada, Estou bem obrigada. E a voz falha, o buraco fecha e o ar já se foi, já estás encolhida outra vez no teu mundo. E as perguntas começam. Ainda demoramos muito? Vais-me deixar sozinha? Podes vir comigo? "O que te acalma?" Nada. É tudo uma dor constante, um pânico que sufoca, um medo que me gela até aos ossos. A minha cabeça não pára. Eu bem que lhe imploro que ela me deixe dormir, que pare nem que seja um segundo. Deve ser bom ter um segundo de paz, mas já não sei o que isso é. E é quando olhas nos olhos das pessoas que mais amas e vês o desgaste delas por estares assim que percebes que precisas de ajuda. Que o medo já não é só medo e muito menos só o teu medo, o pânico já não é só pânico e das coisas pequenas passou para aquelas que nunca pensaste e a ansiedade já tomou conta de ti totalmente. 

"Senta-te aqui, vamos conversar"
O meu nome é Catarina e preciso de ajuda, Estou doente. 
E assim começa e nunca acaba o dia a dia de uma pessoa que sofre de ataques de ansiedade e de pânico. Cada dia é uma luta, cada ataque uma grande batalha. Poucos entendem mas só quem passa por isto é que sabe o horror que é viver com esta doença todos os dias. 

terça-feira, março 14

Desculpa, obrigada por tudo e adeus

Quero que saibas que esta vai ser a última vez que te escrevo. O tempo passa mas as memórias continuam todas aqui, parece que não aprendi nada com o que passei antes de apareceres. Tudo o que nunca vais dizer é que me amas, e isso era tudo o que eu queria ouvir. Desculpa ter sido como fui. Desculpa as pressões, os dramas e os filmes. Desculpa não ter aproveitado mais, desculpa não ter rido mais, de não ter dado mais, de não ter mostrado mais. Desculpa não esquecer o teu sorriso, aquele pelo qual me apaixonei mal entrei no teu carro no nosso primeiro encontro, desculpa não conseguir esquecer o teu toque. Desculpa não parar de ouvir a tua voz à noite quando deito a cabeça na almofada a dizer "fácil miúda" e desculpa os meus olhos por te procurarem em todo o lado. Desculpa o meu coração por ter sido impaciente pelo teu amor, mas desculpa principalmente eu não conseguir esquecer o tom da tua pele, as tuas marcas, o teu cheiro. Desculpa não ter dito que era a tua teimosia que me deixava louca e que me fazia amar-te cada dia mais. Desculpa não conseguir gostar de ouvir o meu nome como gostava quando chamavas por mim. Desculpa não conseguir sorrir e descer as escadas tão rápido como quando sabia que estavas à minha espera. Desculpa todas as músicas em que chorei por ter saudades tuas e desculpa ter-me apaixonado por ti mal te vi pela primeira vez. Desculpa-me por ter sido mais quando devia ter sido menos. Desculpa, a sério desculpa por não me conseguir entregar como me entreguei a ti e desculpa o facto de não conseguir esquecer. Mas acima de tudo desculpa-me porque sei que um dia já não vou sentir o teu cheiro, já não me vou lembrar da tua cicatriz do lado direito da cara, já não vou saber a que sabe o teu toque e já não me vou lembrar do timbre da tua voz a dizer o meu nome. Eu não quero agora mas eu sei que vou esquecer todas as brincadeiras, todas as conversas, todos os planos e vou esquecer as viagens onde ouvíamos músicas parvas que me faziam rir até a barriga me doer. Desculpa ter o coração partido e desculpa dizer-te adeus. Desculpa nunca ter tido a coragem de ter dito que te amo, e caramba, como te amo. Desculpa, obrigada por tudo e adeus, Esta é a última vez que te escrevo e se algum dia te perguntares por onde ando, pensa que vou estar a decorar um novo rosto, um novo cheiro, um novo toque, uma nova maneira de ouvir o meu nome, Vou estar numa rua a rir de músicas parvas e a brincar com outra pessoa. Vou estar a descer as escadas ainda mais rápido e com um sorriso ainda maior, com novos planos e sonhos que se vão realizar. Vou estar preocupada com outro coração, com outros dramas e filmes, com uma respiração diferente da tua e a chorar por outros motivos. Se algum dia quiseres saber onde estou, lembra-te que estive do teu lado enquanto quiseste e que estive por perto mesmo quando me deixaste sem chão, mas que fiz da minha casa outro coração que não o teu. Desculpa por tudo, obrigada por tudo e adeus. Amo-te, mas esta é a última vez que te escrevo, e se assim é, que seja para te dizer que te amo e que espero que saibas que fiz tudo o que conseguia. A minha casa já foi o teu coração, mas agora a tua casa é o coração de outra pessoa e assim será também comigo. 

Desculpa, obrigada por tudo e adeus.
Amo-te, mas fui esquecer-te e fazer de outro coração a minha casa. 


terça-feira, março 7

Esta minha ausência maldita

Estive desaparecida estas ultimas semanas porque a minha saúde não me permitiu outra coisa. As dores ficaram mais fortes e o meu corpo e a minha cabeça não aguentaram mais. Fui à médica e ouvi coisas que ninguém quer ouvir a um sábado de manhã. Na segunda-feira antes do carnaval fui trabalhar, falei com o meu chefe e disse que pelo menos durante um mês ia ficar em casa de repouso. O resto da semana foi passado a correr para o centro de saúde por causa da baixa e a tentar relaxar um pouco. Como não tenho muitas defesas e qualquer coisa me pega, este domingo lá fui eu para o centro de saúde novamente mas desta vez por causa de uma amigdalite grave com direito a antibiótico durante 7 dias de 8 em 8 horas. Como podem ver, a minha vida está uma animação neste momento. O que me salva é que tenho gente maravilhosa ao meu lado e que me enche de força, amor e o maior apoio do mundo. Ás vezes a vida obriga-nos a parar, a reflectir sobre as nossas escolhas e a tomar decisões. Eu tomei a decisão de me colocar em primeiro lugar e cuidar do meu corpo e da minha alma. Até me sentir completamente recuperada, vou viver rodeada de amigos, família, filmes, séries, amor, fotografias, passeios a lugar bonitos e claro, vocês. Podem contar com posts mais regulares sempre que a minha saúde assim o permitir. E desculpem esta minha ausência, mas as poucas forças que tinha e tenho tiveram de ser usadas para resolver outros problemas. Agora vamos a isto, novos posts, novas aventuras e uma saúde a ser melhorada ! Posso contar com vocês ? :)

http://catarinaslg.tumblr.com/